Começámos em Maio 2009, recebemos 358 comentários aos 687 posts

Obrigada a todos os que de múltiplas formas contribuem para o esqueciaana Escrevam: esqueciaana@gmail.com




os 10 posts mais lidos (esta semana) seguidos dos posts mais recentes (26 Outubro 2016):

Jan 20, 2010

>> "A anorexia é uma doença do foro emocional..."

No blogue de Lídia Craveiro, Gostei muito de ler um post sobre anorexia nervosa que abaixo reproduzo parcialmente (o post integral aqui). Em particular quando se refere a que "a anorexia é uma doença do foro emocional (..) como se através de um corpo magro exibissem o sofrimento e o horror da sua vida interna." Como ex anoréctica conheço essa verdade, que nem sempre está presente ou é suficientemente destacada na informação sobre a anorexia difundida via Internet. De facto, algumas queixas de jovens que se pretendem tratar é que a família comenta "ah pois, a comida!" " a mania das dietas!"
[...] Citando Lídia Craveiro: " A ideia que a anorexia é uma doença de causas orgânicas tem sido passada de alguma forma por quem que encontra explicação para tudo no biológico. No entanto está provado desde há algum tempo que a anorexia é uma doença psicológica que se traduz depois em manifestações físicas e psicológicas. Tal confusão, que traduz a anorexia numa doença apenas do comportamento alimentar, pode ser extremamente perigoso, pois pode conduzir à eliminação dos sintomas físicos, pela ingestão de alimentos e descurar a parte psicológica verdadeira causadora da doença. A anorexia é uma doença do foro emocional, em que os afectos estão perturbados por isso incapazes de deixarem o corpo funcionarem levando a comportamentos de oposição pela retirada voluntária dos alimentos, virando ao que parece uma raiva surda contra si próprias que faz as adolescentes definharem perante os olhos dos pais e amigos, como se através de um corpo magro exibissem o sofrimento e o horror da sua vida interna. De salientar que esta doença requer ajuda especializada, envolvendo uma equipa multidisciplinar(médicos psiquiatras e psicoterapeutas) onde o acompanhamento psicológico psicoterapeutico é fundamental para o tratamento desta doença. Quando não tratada pode levar à morte." Publicada por Lídia Craveiro em 3/24/2009 01:04:00 PM Etiquetas: [...] .
Imagem: flickr cc (aqui) . Escolhi a foto pela ironia. O título da imagem atríbuído pelo fotógrafo é: " Se a Barbie é tão popular, porque precisa de comprar os amigos?". Na legenda da imagem: "Sou uma rapariga Barbie num mundo Barbie.A vida em plástico é fantástica!"

3 comments:

foreveryoung said...

Já tentei começar a escrever este comentário várias vezes, no entanto, nunca o consigo terminar porqe isto não é feito de ânimo leve de maneira nenhuma, exige cuidado com as palavras porqe não pretendo ferir ninguem mas senti qe agora, mais qe nunca, o meu parecer e a minha opinião tinha de vir ao de cima e então nada melhor qe esta "carta aberta" para todas as quantas mais eu conseguir comentar. Para quem não sabe a minha história eu estou anorética há dois anos e meio. Tudo começou com uma pequena dieta em que se excluiam os doces e tudo terminou numa outra dieta qe excluía tudo. Tive dois anos mais ou menos controlada em termos de peso..apesar de ter sido sempre considerado baixo tendo em conta o indice de massa corporal mas a verdade é qe apesar de todas as dietas descabidas, depressões aliadas à falta de nutrientes, etc...as coisas foram-se aguentando! Há seis meses atrás decidi começar a falar abertamente sobre a anorexia no meu blog (entretanto, para quem não teve a oportunidade de ler eu apaguei tudo o qe ele continha sobre a doença). Conheçi várias pessoas com o mesmo problema qe eu tendo inclusive travado uma verdadeira amizade com três delas! Começei o blog há seis meses com um IMC de 18, 1.80m e 61kg. Terminei-o ontem com 52kg, e um IMC de 16. Perdi a conta à quantidade de vezes em que numa das minhas interminaveis insónias me levantava da cama e ía directa ao computador ler as novidades alheias. Os outros blogs davam me força para continuar a emagrecer! As outras meninas ajudaram-me a acreditar que eu era capaz de me controlar ainda mais. Frases como "Força meninas nós conseguimos ser magras", ou "Controle acima de tudo" perpetuaram-se na minha cabeça desde os dias em que eu decidi fazer parte "desse grupo". Esse grupo é constituido por raparigas incriveis, extremamente inteligentes e muito talentosas. Pessoas qe se dão muito facilmente não sei se por uma certa carência se em busca de mais um pouco de esperança! Cabe-nos a nós, a cada uma, utilizar o blog para incentivar uma cura, um pequeno passo em frente e nunca, repito, nunca, o oposto. Eu mesma errei tantas vezes quando fiz deste espaço um mero diário dos meus cardápios alimentares..um sitio onde me limitava a auto-glorificar por ter conseguido só comer x ou y. Não faço a mais pequena ideia de quantas raparigas poderei ter prejudicado..porque eu mesma quando aqui cheguei começei por ler um blog de uma rapariga qe há seis meses estava com 60kg e neste momento está com 50kg. Como sabia bem ler os comentários dos outros a encherem-nos de coragem, de força, de vontade..vontade de nos auto-destruirmos. Mesmo que inconscientemente sei qe fui incorrecta e irresponsável ao expor-me, a mim, à minha vida, à vida da minha família. Há pessoas aqui que estão neste mundo há muito tempo e apesar de eu saber que a anorexia não se escolhe e que não é por lermos um blog qe nos tornamos doentes, TODAS NÓS SABEMOS QUE TUDO COMEÇA COM UMA DIETA. Uma pequena dieta. Uma ideia. Todas nós sabemos qe, como qualquer doença, quando apanhada no inicio é muito mais provável ser curada do qe como tantas de nós qe sustentamos esta prisão há anos a fio..entristece-me ver cada vez mais raparigas a "entrar aqui". Estristece-me porqe algumas delas não sabem mesmo onde se estão a meter..e revejo-me delas, há dois anos e meio atrás, a pensar qe quando estivesse magra ia ser mais feliz..não é a magreza qe nos traz algo tão bonito como a felicidade. Cabe-nos a nós, conscientes do problema que temos, alertar estas raparigas para o perigo que estão a correr. A Anorexia mata! Já nem falo em fazer incentivos à procura de ajuda psicológica, apesar de considerar a mesma uma peça fulcral para a cura, mas sim para terem todas cuidado com o que escrevem..porqe podemos estar, mesmo que sem querer, a ajudar alguem a matar-se. A beleza está nos olhos de quem a vê...se não gostarmos de nós, quem gostará?

ex ana said...

(conforme já comentei no blogue de Foreveryoung)
Palavras pensadas, sentidas e certeiras, Foreveryoung!

O que a seguir escrevo não é de modo algum uma opinião de especialista. Vale o que vale e resulta das minhas experiências e leituras.

Quando não existia Internet uma das características frequentes dos doentes com Anorexia Nervosa (AN) era 'devorarem compulsivamente' todo o tipo de leitura que encontrassem sobre alimentos, nutrição, etc. A Internet como que 'substitui' com informação imensa (boa, má, péssima, assim-assim) essas bibliotecas ou livrarias.

Por outro lado, sendo a AN uma doença do foro mental com grande incidência em "raparigas incriveis, extremamente inteligentes e muito talentosas" (cito foreveryoung)e que contribui para um isolamento dos doentes da família, dos amigos(isolamento físico, social, psíquico)compreende-se que haja uma tendência para que o virtual permita a construção de redes de solidariedade para substituir as que se perderam no real. E essa entreajuda pode funcionar...para o BEM...e para o mal. Segundo informações no site da AFAAB existem grupos de entreajuda (reuniões presenciais) dinamizados por pessoas que já ultrapassaram a doença.

Mas as solidariedades negativas tb existem. Ainda recentemente a Dra. Isabel do Carmo (do Hospital de Santa Maria) referiu num programa da SIC (Companhia das manhãs) que até durante o período de internamento é necessário os especialistas estarem atentos a 'solidariedades negativas' entre os internados sob pena dos tratamentos não se realizarem integralmente.

A AN é uma doença mental que pode levar à morte, isso é essencial ter sempre presente, e como tal deve ser tratada. 'Não comer' é o sintoma.

O post da Foreveryoung merece ser divulgado o mais possível. Gostaria de o transcrever como post (não apenas como comentário) no meu blogue. Posso?

foreveryoung said...

Seria para mim uma honra enorme minha querida esqueciaana :)