Começámos em Maio 2009, recebemos 358 comentários aos 687 posts

Obrigada a todos os que de múltiplas formas contribuem para o esqueciaana Escrevam: esqueciaana@gmail.com




os 10 posts mais lidos (esta semana) seguidos dos posts mais recentes (26 Outubro 2016):

May 23, 2009

passear no campo


os campos agora estão lindos, sabe bem passear neles sem destino. Citando Agustina Bessa Luis de memória:
nem sempre andar à deriva é andar perdido
(fotografia de Fátima Silva em 1000 imagens)

May 21, 2009

anjos - demónios

Eu tinha muitas vezes a imagem de estar num abismo e chegar um anjo por trás de mim segurar-me de leve e eu não cair . Ou então estar numa cova muito funda em que olhava para cima via luz, por mais que pedisse ajuda (e não conseguia gritar) não me ouviam e havia alguém que espreitava lá no alto contra a luz e chamava e enviava uma espécie de corda. Mas não tenho a certeza de ser uma corda forte era mais um fio ou parecido. O anjo salvador pode ser gente(s) ou coisa(s). Ajudam. Ajudam-nos ...se os deixarmos ajudar-nos.


imagem G. Klimt (1916)

May 15, 2009

Revista Burda

Burda
As duas imagens acima foram retiradas duma revista Burda. Que era a Burda? Uma espécie de instituição. Há 40 anos, quando o negócio do pronto-a-vestir era ainda incipiente, o vestuário feminino era feito em 'modistas' (costureiras era para os arranjos e bainhas) ou pelas próprias ou familiares (a série que passa na rtp1 ao domingo 'conta-me como foi' ilustra essa actividade). A 'bíblia' de então eram as Burdas que traziam moldes que tornavam possível mesmo às iniciadas 'talhar' as ditas roupinhas. Publicada em todo o mundo e em várias línguas (quando passou a ser em português foi uma festa por cá entre as utilizadoras) . Para copiar os moldes era necessária alguma ciência ( e boa vista ! ) porque muitas vezes eram um labirinto de linhas sobrepostas, menos claras do que o exemplo acima.
"É importante manter as proporções certas!" avisa-se no molde. Ironicamente parece um apelo a seguir os ditames da moda. E que moda? E o que tem isto a ver com a anorexia e com a ana que esqueci? Pelo menos duas coisas. Uma mais pessoal, porque a Burda foi para mim também fonte das receitas culinárias hipo-hipo calóricas. Outra mais geral, a Burda desde os anos 50 mostrou sempre modelos cujo corpo se afastava muito do padrão médio real. As cinturinhas de vespa tão em voga chegaram a ser feitas à custa de corte de costelas. Mas a Burda tinha edições especiais 'para tamanhos grandes' (se descobrir uma irei mostrá-la aqui). Eram exemplares raríssimos e muito procurados. Não é pois recente a moda dos padrões esguios.

May 14, 2009

frágil - forte

O meu corpo (frágil, diziam) deixou-se aprisionar
Mas eu repetia de mim para mim: “Sou forte!”
Triste forma (vi muito depois; mostraram-me?) de usar as energias.




Negar, negar, negar. Negar como fuga. Para quê ? De quê? (ainda ando a descobrir)




O mundo estava lá fora e eu tinha sido alegre por dentro e por fora.
Perdi então o prazer de rir por dentro. Uma angústia vinda não sei de onde apagou-o.
Nunca deixei de rir por fora...pois que seria da ana sem a 'máscara'?



Depois... ao abandonar o fingimento senti-me levezinha (e exactamente quando os quilos iam aumentando eu estava cada vez mais leve!).
esqueci a ana


Imogen Cunningham - Hands and Aloe Plicatilis, 1960;

May 11, 2009

queria ser perfeita...

em tudo. TUDO! no que fazia, no que escrevia, no que dizia...E isso amarrava-me a escrita, a fala, o viver. Mas como pode ser perfeita alguém que se autodestrói todos os dias?

esqueci a ana.

gravura de Bartolomeu Costa

May 9, 2009

anorexia no masculino

Encontrámos aqui um texto interessante que refere a raridade da investigação sobre resultados terapêuticos na anorexia nervosa e ue : "Os homens representam apenas cerca de 10% dos casos de perturbações do comportamento alimentar, sendo esta discrepância associada ao género das mais acentuadas em Psiquiatria e em Medicina. [...]Compreender as causas da menor incidência destas perturbações nos homens pode vir a fornecer pistas úteis para a diminuição do risco nas mulheres quanto à vulnerabilidade do sofrimento culturalmente induzido sobre as formas corporais ideais.
Depoimento de um jovem
aqui

lágrimas de crocodilo...de assassinos

Texto à entrada de um site pró-anorexia:
"Este é um site pró-anoréxico. Por isso, não deve ser visto por quem está em recuperação, ou por quem está a considerar a recuperação. Por favor, se não tiver ainda um distúrbio alimentar, não entre. Se estiver em recuperação, não entre. A anorexia é uma doença mortal. Não é para ser tomada de ânimo leve".


May 8, 2009

anorexia online


na net abundam sítios como o ilustrado acima. Lado a lado familiares em desespero; pedidos de ajuda e...PUBLICIDADE a prometer 0,5 Kg a menos por dia!!!

May 7, 2009

#1 eu e a ana

Dava-lhe todos os dias os bons dias
Durante muitos, muitos dias...
Uma manhã acordei e esqueci-me dela
Porquê? não sei.
Assim como não sei porque antes a escolhi
[...]
Passaram muitos, muitos anos...
Continuo a procurar razões