Começámos em Maio 2009, recebemos 358 comentários aos 687 posts

Obrigada a todos os que de múltiplas formas contribuem para o esqueciaana Escrevam: esqueciaana@gmail.com




os 10 posts mais lidos (esta semana) seguidos dos posts mais recentes (26 Outubro 2016):

Jul 30, 2013

...personagem Inês de Dancing Days [ 'Cortar-se'] Salpicos "Auto-Mutilação: uma simples chamada de atenção? " NÃO!!!

 
Estou a reeditar este post porque uma cena na novela Dancin Days (da personagem Inês) mostrou imagens para muitos incompreensíveis para outros familiares.

Para ler todo o post clique aqui, no Blogue Salpicos (Alexandra Barros)
 Transcrevo abaixo um dos parágrafos do post da autoria de Alexandra Barros. Recomendo a leitura integral do post no blogue Salpicos (clique aqui)
 (...)
"A auto-mutilação ou a dor auto-infligida é sinónimo de grande sofrimento emocional que requer intervenção urgente. A dor emocional é tão avassaladora que, não encontrando outra forma de se expressar ou exteriorizar, é expulsa através da dor física que mascara a primeira, trazendo um certo alívio. Mas este alívio é obviamente temporário, levando à busca repetitiva da dor física, que acaba por assumir características obsessivo-compulsivas. Por outro lado, o sofrimento emocional, ao tornar-se insuportável, conduz a uma espécie de anestesia afetiva e a um sentimento de morte interior que faz com que a dor física (e o sangue) seja a única forma de confirmar que se está vivo e que se sente algo."

Existem estatísticas para Portugal sobre a  auto-mutilação?  Sim, e são preocupantes:
No esqueciaana (clique aqui) tinhamos dado conta de uma estatística muito preocupante em relação aos jovens portugueses:15,6 por cento referem "ter-se magoado de propósito nos últimos 12 meses, mais do que uma vez" (este comportamento é conhecido como auto-mutilação). Os dados são de um estudo internacional promovido pela Organização Mundial de Saúde. Em Portugal foram estudados  5050 adolescentes portugueses, com uma média de 14 anos. (ler mais aqui)
 



 

Jul 22, 2013

...Dircursos sobre Anorexia Nervosa (artigo científico 2012; em português)


Pode ser lido na integra um artigo científico publicado  na revista Psicologia & Sociedade; 24 (2), 472-483, 2012, basta seguir o link :
http://www.scielo.br/pdf/psoc/v24n2/24.pdf
OS HERÓIS, VÍTIMAS E VILÕES:DISCURSOS SOBRE A ANOREXIA NERVOSA
AUTORES: Maria Araújo e Margarida Henriques (Universidade do Porto, Porto, Portugal) ;Isabel Brandão e António Roma Torres (Centro Hospitalar de São João do Porto, Porto, Portugal)
RESUMO:
"Este artigo apresenta uma revisão da literatura sobre os discursos dominantes sobre a anorexia nervosa da Idade Média à actualidade. Coloca em destaque os heróis, vilões e vítimas, culminando num olhar sistémico-familiar. Se durante séculos predominaram narrativas individuais de heroínas santas, posteriormente, na era do pensamento médico, estas heroínas passaram a vítimas de uma doença mental. Mais tarde, com os movimentos da anti-psiquiatria e da terapia familiar, emergem novas narrativas com mais protagonistas: os familiares. Se, primeiramente, as famílias são retratadas como vilãs, dadas as suas influências nocivas, nas últimas décadas as famílias são ilustradas como sistemas vítimas do impacto da doença. Na actualidade, surgem narrativas de famílias competentes, capazes de superar o problema. Este artigo termina refletindo sobre esta multiplicidade de leituras e suas implicações.
Palavras-chave: anorexia nervosa; relações familiares; história."

Do texto  destaco esta referência:

"De acordo com um estudo realizado por Nilsson e Hagglof (2006) (*) quando questionadas 58 mulheres recuperadas relativamente
sobre as pessoas que foram mais importantes para a recuperação,
 
38% referiram os familiares,
 
35% apontaram para os profissionais de saúde,
 
33% os amigos e
 
24% o namorado,
 
o que coloca em evidência a importância dos diferentes elementos do sistema para a recuperação, ou seja, familiares, técnicos e amigos enquanto possíveis colaboradores activos para a mudança.
 
 
 
 
 
 

(*) Nilsson, K. & Hagglof, B. (2006). Patient perspectives of recovery
in adolescent onset anorexia nervosa. Eating Disorders,14, 305 – 311.

 
imagem retirada de flick cc aqui

Jul 11, 2013

...barbies bonecas e barbies pessoas

 



"O artista Nickolay Lamm recreou a boneca mais famosa do mundo com um corpo real. Ou seja, se a boneca fosse uma mulher real teria o corpo idealizado por Lamm.
A popular boneca Barbie foi desenhada com tamanho natural pelo artista Nickolay Lamm, que quis mostrar ao público como se poderia ver uma destas bonecas se tivesse medidas normais.
Agora, em 2013 o designer norte-americano Nickolay Lamm mostrou ao mundo como seria a boneca com medidas normais. Para levar a cabo o projeto, o artista tomou as medidas convencionais de uma mulher norte-americana de 19 anos para criar o modelo em 3D que foi fotografado ao lado da Barbie. Uma vez efetuada esta fase retocou a imagem para que ficasse parecida com as bonecas da Mattel.
Numa conversa com o The Huffington Post, Nickolay Lamm disse que em vez de criticarmos os modelos pela sua magreza, talvez devêssemos estar abertos à possibilidade de que Barbie poderia influenciar negativamente as meninas". acrescentando que "uma Barbie realisticamente proporcionada seria muito melhor".
Fonte: Diário de notícias 9 de Julho 2013. Também no Brasil foi notícia (ver aqui)
 

Em 2011 foi criada uma Barbie à escala real. A criadora foi a estudante norte-americana Galia Slayen (na fotografia abaixo ao lado da boneca), que depois de sofrer de anorexia revelou ao mundo como seria a boneca em tamanho real. O resultado foi uma mulher com 1,82 metros de altura com as medidas de 96-45-83.
Algumas estatísticas sobre a boneca Barbie: *
• EM CADA SEGUNDO SÃO VENDIDAS 2 BARBIES NO MUNDO ...
• As clients principais das barbies são a meninas  dos 3 aos 12 anos
• Em média cada menina possui 7 barbies .
• Se a Barbie fosse um ser humano teria que andar de gatas dada a sua desproporção.
 * FONTE: Body Wars, Margo Maine, Ph.D., Gurze Books, 2000.
Galia Slayen on Twitter: www.twitter.com/gslayen