Começámos em Maio 2009, recebemos 358 comentários aos 687 posts

Obrigada a todos os que de múltiplas formas contribuem para o esqueciaana Escrevam: esqueciaana@gmail.com




os 10 posts mais lidos (esta semana) seguidos dos posts mais recentes (26 Outubro 2016):

Sep 1, 2010

...Voltar de férias (I) : Reencontros e Conversas ( e campanha End FatTalk)

Regresso de férias! Reencontro de amigos e colegas! "Pôr a conversa em dia" em directo e ao vivo.Ter conversas de circunstância ou não. E entre elas algumas sobre o corpo (mais ou menos moreno, mais ou menos pesado etc.).  Quando li um comentário num blogue em que alguém lamentava a  terem chamado de anoréctica por estar mais magra (é grande a ignorância sobre a anorexia nervosa, há falsos mitos sobre a doença (4 aqui) e muitas ideias erradas sobre a doença (ver 23 dessas ideias aqui)). Lembrei-me de uma campanha que tem lugar há vários anos nos Estados Unidos: End Fat Talk.

Se alguém pretende ajudar uma amiga que pensa ter anorexia tem várias formas de o fazer e por vezes comentários bem intencionados fazem o efeito oposto. A anorexia não é 'ter a mania das dietas', não é  uma escolha, a anorectica não é 'culpada' de nada.


A tal campanha norte-america, que vai decorrer durante uns dias em Outubro, chama-se "Take Action. End Fat Talk" tem página (aqui) e também no Facebook (aqui). A minha primeira reacção ao tomar conhecimento da campanha foi: que disparate! com as minhas amigas falo do que quiser e me apetecer! ..estes americanos têm umas manias....Mas depois reconsiderei a opinião inicial. Afinal não custa muito pensar antes de fazer comentários que podem magoar quem os recebe ....sejam eles sobre o corpo ou sobre qualquer outro aspecto. [ Recordo-me por exemplo de um rapaz com anorexia numa entrevista ter dito que o que tinha desencadeado o seu comportamento de transtorno alimentar - factor próximo, não a 'explicação' - tinha sido o comentário de um tio sobre ele ser 'gordo'].

Reproduzo abaixo e parcialmente o manifesto FAT Talk / Freinds don't let friends Fat Talk. Para mim, o desejo de uma peso saudável é bom e desejável...o problema é quando estamos perante um transtorno alimentar (sobre 10 sinais de aviso e a minha experiência ( aqui) ; sobre diagnóstico ver por exemplo aqui).A campanha vale o que vale...mas se ajudar alguém a libertar-se ou a não entrar na doença...
"Participa! Aprende! Faz a diferença!
" dez milhões de mulheres debatem-se com transtornos do comportamento alimentar neste pais [Estados Unidos , 2010], o que é mais do que as mulheres que sofrem de cancro na mama. É tempo de tomarmos sermos donas do nosso destino, dos nossos corpos, das nossas consciências. Estamos a mudar o tema de conversa para criar em todo o lado uma imagem do corpo mais positiva para as mulheres!
Fat Talk [Falar de peso] corresponde a afirmações feitas nas conversações do dia a dia que reforçam o ideal de magreza e contribuem para a insatisfação das mulheres em relação aos seus corpos.
Alguns exemplos de Fat Talk:
"Estou tão gorda!"
"Isto faz-me gorda?"
"Tenho que perder uns quilos!"
"Ela é muito gorda para usar aquele bikini!"
Afirmações que são consideradas Fat Talk podem també incluir afirmações 'pela positiva' mas que reforçam a necessidade de ser magra:
"Estás fantástica!Perdeste peso?" [ do Manifesto do End Fat Talk]

Querem as leitoras e leitores acrescentar algumas frases ligadas ao Fat Talk ouvidas por estes dias?
adicionado em 22 de outubro: história da campanha fat talk (aqui)
Fotografia flickr cc (aqui)

1 comment:

be(e)Free said...

gostei do "End Fat Talk" :)