Começámos em Maio 2009, recebemos 358 comentários aos 687 posts

Obrigada a todos os que de múltiplas formas contribuem para o esqueciaana Escrevam: esqueciaana@gmail.com




os 10 posts mais lidos (esta semana) seguidos dos posts mais recentes (26 Outubro 2016):

Nov 20, 2010

... filme " Maus Hábitos / Malos Habitos"


O filme, de 2007 é de um realizador mexicano Simon Bross. Ganhou 7 prémios. Em Portugal não recordo que tenha estado em sala. A história desenvolve-se em torno de doenças do comportamento alimentar. Tive conhecimento dele  por um blogue brasileiro (aqui).
"Especialista em transtornos alimentares, o psiquiatra Alexandre Azevedo, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clinicas, da USP (Universidade de São Paulo), foi assistir ao filme por indicação de uma paciente, que identificou sua condição nas telas. "O filme é bastante realista na apresentação das crenças que um portador do transtorno apresenta; claro que com certo 'colorido', por se tratar de uma ficção", critica. Mas ele diz que não o recomendaria para qualquer um: "No caso de uma paciente ainda resistente ao tratamento, ela vai ouvir o discurso da personagem como sendo verdadeiro e, assim, reforçar as crenças que tem sobre a doença".

[...]
esqueciaana: Uma resposta desse psiquiatra sobre o filme chama a atenção para o efeito (positivo ou negativo) que esta ficcção, e as ficções em geral sobre as doenças do comportamento alimentar podem ter.

"UOL Ciência e Saúde: Na sua opinião, o filme pode ajudar pacientes e familiares a entenderem melhor a doença? Você o indicou ou indicaria?


Alexandre Azevedo (psiquiatra): O filme só poderá ser indicado a pacientes que realmente já adquiriram crítica sobre a doença, ou seja, percebem-se doentes e desejam tratar-se e melhorar. No caso de uma paciente ainda resistente ao tratamento, ela vai ouvir o discurso da personagem como sendo verdadeiro e, assim, reforçar as crenças que tem sobre a doença. Nesse caso, filmes como esse podem até agravar os sintomas. No caso de pacientes adultas, que participam do tratamento e desejam melhorar, o filme pode ajudar a compreender a origem da doença e o quão vazia é a crença de que um corpo magro é garantia de sucesso. Além disso, ela pode se identificar com o sofrimento do personagem e isso lhe dará motivação para melhorar."

1 comment:

be(e)Free said...

ja tinha visto o filme no youtube ha uns meses e pensei em alugá-lo para ver com uma amiga. Contudo, nao o fiz, achei que nao era uma coisa boa...

:)